Pare e respire



Faz cerca de um ano e meio. Era final de tarde ou começo de noite, depende do ponto de vista. Estávamos quatro ou cinco na sala. Não lembro exatamente. O instrutor ditava as orientações de relaxamento. Inspirar profundamente pelo nariz, expirar todo o ar dos pulmões. Estava eu em uma das primeiras e únicas aulas de ioga que eu fiz (infelizmente). Foi naquela ocasião que eu aprendi a respirar. Não foi na hora em que eu nasci, nem quando me resgataram naquela tarde em que eu não vi que a profundidade da piscina era duas vezes a minha altura, nem quando achei que o meu peito não fosse aguentar tamanha dor de amor. 

Respirar todo mundo respira, mas saber respirar de modo a realmente fazer valer a capacidade dos nossos pulmões é para poucos. Infelizmente. Não me lembro de ter ouvido falar sobre respiração nas aulas de Educação Física em todos os anos do ensino fundamental e médio. Regras de vôlei, handebol, basquete... Dessas lições eu me lembro. Por que isso não é ensinado às crianças e aos adolescentes? É (ou deveria ser) tão básico. Foi necessário que eu me matriculasse na aula de ioga, deitar no tatame, fechar os olhos e ouvir: "Primeiro, coloquem a mão em cima do abdômen e o sintam dilatar, depois sintam as costelas se expandirem e, por último, o peito inflar. Para expirar, façam o caminho contrário."

Pimba! Foi como se tivesse acendido uma luz em mim. Depois daquele dia, eu me dei conta que nunca tinha respirado de forma longa. Talvez em raríssimas vezes. É óbvio que não respiro assim toda hora, todo minuto, todo segundo. É impossível e há momentos que exigem uma respiração mais curta. Como a praxe é respirar de maneira rápida, o desafio é fazer o contrário. Cinco minutos por dia é suficiente. Antes de dormir, para relaxar e ter um sono mais profundo. Quando sobrar um tempinho. Aos poucos, o ritmo da respiração vai mudar - para melhor. Parar e respirar naquele momento de muito estresse, ansiedade, raiva, ódio ou desespero pode ajudar bastante. Respiração mais calma gera pensamentos mais claros.

Pode parecer besteira, frescura ou até exagero para alguns - "Eu tenho coisas mais importantes para me preocupar" ou "Sempre respirei normal e estou aqui, vivo" -, mas, se não damos atenção nem para o mais básico dos processos do corpo humano, algo deve estar errado. Viver no automático não é para seres humanos. O corpo está o tempo inteiro se comunicando conosco. E nós nem o damos ouvidos. Muitos possuem uma ótima audição, mas estão surdos perante o próprio corpo. Respirar melhor pode ser um jeito de entrar novamente em contato com essa morada tão especial e única que é o nosso corpo. Se nós viemos para esse mundo com dois pulmões tão poderosos, por que não usá-lo mais? O resultado é mais oxigenação, mais saúde, mais criatividade. Mais vida.

Para quem quiser saber mais, separei dois vídeos que falam sobre o assunto: Você respira bem? | DICAS | Método DeRose Trindade e Ritmos respiratórios | DICAS | DeRose Method Trindade.

*Toda sexta-feira, às 10h, tem crônica nova aqui no blog. Gostou? Deixe seu comentário! E volte sempre!

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas