domingo, 7 de setembro de 2014

Imóvel

Meu desânimo às vezes é tão grande que eu tenho medo. Medo de mim, medo de ficar fora de mim. Medo de ser uma idiota. Ou mais idiota ainda do que eu já estou sendo. Eu preferia morrer de raiva, de ódio, de vontade de quebrar a cara de alguém. Só que em vez disso eu me desanimo. Parece que perdi a força, a vontade, a coragem de reagir. Parece não, eu perdi. Mentir não vai melhorar as coisas. Mas já me fez tão feliz... Enfim, não que eu estivesse alguma vez alcançado algum patamar muito alto de esperança, mas também fazia tempo não via o fundo tão de perto. Tem dias que eu pareço acordar melhor, mas tem dias que eu nem quero acordar. E eu nem poderia estar reclamando. Sou uma baita de uma mal-agradecida mesmo. Que saco. Eu sou mesmo uma idiota. Imóvel, caminhando por aí.