terça-feira, 28 de agosto de 2012

Shirin Sukhita

Agora eu tenho um compromisso. Esse compromisso é de uma vida toda, em cada segundo ele deve ser lembrado, deve ser cumprido. Não como uma obrigação, jamais. Como uma oportunidade de me conhecer, aperfeiçoar-me, tornar-se mais bela. Em todos os sentidos possíveis. Esse compromisso é comigo mesma, acima de tudo. É com o meu coração, minha essência. Esse compromisso faz parte do meu ser, do meu sorriso, da minha felicidade, das minhas angústias. É também com o universo e as flores, os rios, as pessoas. Com a vida. Esse compromisso é com o amor. E esse é o mais importante de todos, o mais valioso. O único que importa.
Desde que o Osho entrou na minha vida, muita coisa mudou. Suas palavras, seus ensinamentos, sua alegria são transformadores, inspiradores. Foi mais um presente que veio junto da melhor surpresa que uma noite de verão poderia me trazer. Ele, sempre ele. Gosto de pensar que conhecer o Osho estava no meu destino, que isso era um fato pré-estabelecido por alguém, seja ele quem for. Recebi a oportunidade de descobrir a vida em suas minúcias, não hesitei em agarrá-la com todas as forças. Agora não solto nunca mais.
Shirin Sukhita. Sweet Pleasure em inglês. Doce Prazer em português. Esse é o meu nome, essa é a tradução da minha essência sob a visão dele. Senti vontade de deixar as lágrimas que ficaram nos cantos dos meus olhos caírem, quando ele me entregou o envelope. Senti uma emoção gostosa, boa. De verdade. Dessas que inundam todo o nosso ser de energia positiva. Sou um doce prazer, quero ser um doce prazer. Para mim, para ele, para todos. Sou uma sanniasyn. Osho diz que é difícil definir um deles, mas ainda mais difícil é ser um deles. Ele costuma afirmar que "sannyas é basicamente uma rebelião contra todas as estruturas". Eu quero tentar, eu vou tentar, eu consigo. Sou uma corajosa.
Tenho o compromisso de ser livre. (Há algo melhor do que ser livre?) Quero ter uma vida forte. Vida fraca é para os fracos. Tenho o compromisso de ser eu, me descobrir e me amar.

Quero florescer. 

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

É...

A vida anda meio estranha. Sei lá... Já esteve melhor, mas também já esteve pior. Perdi um pouco da minha vontade de escrever aqui. Desânimo nível hard. Again!!! Ano passado uma crise dos infernos e esse ano parece que ela está invadindo meus neurônios e batimentos de novo. Por outras questõezinhas. Me pego pensado... Sobre o que eu vou escrever? Sobre mim? Nem sei de mim. Tenho raiva de mim.
Ai, que merda tudo isso. Sério. Ando de saco cheio de tanta coisa, sem paciência para tantas outras. Fico repensando, repensando. Não chego a lugar nenhum.
Será que um dia vou conseguir ganhar dinheiro fazendo alguma coisa que eu gosto, realmente? Será? Ando tão pessimista, nunca fui assim. E ainda tem o meu pai e a minha mãe, para completar toda a lambança. Almoços tensos, cafés da manhã tensos, jantares tensos, tudo tenso. Uma maravilha, só que não.
Ah, pois é, não cumpri a promessa. Dessa vez eu estava realmente com esperança que daria certo. Mas de novo fui fraca. Como sempre. Não aguentei os 30 dias. Preciso começar tudo de novo... Outra merda. Aiai...

Vem fazer o que tu sabe de melhor, vem? Vem me fazer feliz? Eu quero... Vem que eu nunca soube lidar com a saudade.

Será que é tudo culpa minha? Diz que não, diz que não.