quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Quase sem querer - Reação em Cadeia

Estava caminhando pela rua e deu uma vontade de chorar. Uma vontade gigante, que me tomou inteira. Sabe, aquela de se jogar na cama e agarrar o travesseiro com toda a força do mundo. Trancar a porta, ligar o rádio e se deixar levar pela fraqueza que veio junto. Daquelas que fazem os ossos amolecerem. O coração amolecer. Vontade de cair e desistir. Chega. Cansei de ser forte, de querer parecer forte. Sou tão mais fraca do que pensava ser. E olha que já passei por poucas e boas nessa vida. Tão mais bobinha também. Ai, bateu o baixo astral. (Que grande novidade.) A roupa não combinou, o cabelo espantou, a pele não animou, a bateria do celular acabou, o dia nublou, o sorriso pifou. 
Semestre, falta muito para o teu fim? Chega a me dar enjoo ir para a aula. Mas preciso (e no fundo, eu quero) cumprir a primeira meta da minha vida: terminar o semestre sem rodar em nenhuma cadeira. Fica acrescentada a parte de não tocar fogo no Campus 8.
Resolvi agora que vou estabelecer a segunda meta da minha vida: dissolver essa nuvem cinza que anda rondando a minha vida. O quanto antes. Puta merda, é só eu querer, não é? O que eu estou fazendo deixando ela estacionada em cima de mim? Já que eu prefiro o céu azulzinho. As nuvens só se forem branquinhas. E em boa companhia. Fazendo nada. 
Companhia essa que eu vou ter que esperar. No fim de semana está planejado plantas, cortes e fachadas. Muito AutoCad para nenhum saco. SENHOR, AJUDE-ME A SOBREVIVER. POR FAVOR. Ah, e uma missa. De 7º dia. É, tenso demais para o meu gosto.
Melhor eu ir dormir porque "quantas chances desperdicei, quando o que eu mais queria era provar pra todo mundo que eu não precisava provar pra ninguém" por não saber que "mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira".

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

E a vida vai indo...

Das três, uma: 
1) Eu ando muito chata. Amiga chata, filha chata, irmã chata, colega chata, amante chata. Até que é uma opção razoável, levando em conta que às vezes nem eu mesma consigo me aturar. 
2) As pessoas resolveram brincar com a minha cara e se fazerem de idiotas. Ou melhor, me fazer de idiota. E de burra. Porque peloamordedeus, quanta paciência. 
3) O fim do mundo está próximo. Pelo menos para mim.
Se eu digo que me resolvi (um pedacinho) e vou trancar a faculdade porque arquitetura fode meus neurônios demais sem ter o retorno que deveria ter, pensam quase em voz alta que não acreditam que gastaram todo aquele dinheirão nas mensalidades para nada. Sou uma irresponsável mesmo. Jogar fora dinheiro desse jeito? Que horror. 
Hum, estamos falando de quê mesmo? Por um momento esqueci que era sobre minha felicidade. Sabe, aqui o dinheiro anda comandando tudo. Há muito tempo. Uma pena.
"E agora, o que tu vai fazer????????" Nossa, será que realmente eu não tenho nenhum talentinho? Pareço ter tamanha incapacidade de me dar bem na vida, hein? Só porque eu não vou ganhar R$ 15000,00 todo mês como aquela lá antes dos trinta não quer dizer que não vou alcançar o sucesso.
Clama que eu chego lá. Do meu jeito, no meu tempo.
Eu juro que eu tentei. Juro. Mas agora deu. Agora eu quero tentar outra coisa. 
E, além de tudo isso, ainda tenho que lidar com investidas do destino. Façam suas apostas para ver quanto tempo a filha número 1 vai ficar sem olhar na minha cara. Começou domingo. Hoje já é quinta-feira. Posso estar errada, mas duvido que a mocinha de azul no supermercado não pensou que podia me prejudicar abrindo a matraca para a minha sister. Seria tão bom as pessoas ficarem de boca fechada em vez de soltar veneno por aí. Mas um dia a cobra dá meia volta. 
E, para finalizar, algo de estranho deve estar acontecendo. Porque hoje já é quinta-feira e nada. NADINHA. Minha caixa de entrada está horrível, só com coisa da faculdade. Eca. Não quero nem pensar. Ok, agora melhorou um tiquinho. Mas muito pouco. Vamos, aparece criatura!
Jesus Cristinho, se tu quiseres ferrar com a minha vida, faz com um setor dela de cada vez. Escolhe: profissional, financeiro, familiar, sentimental. Porque tudo junto eu não aguento. Vai me dar um piripaque.

E eu vou chorar.
Mais ainda.
E eu vou acinzentar.
Mais ainda.